domingo, 4 de dezembro de 2016

Caminhos de Pedra III - Casa Fracalossi



Na Casa Fracalossi, o almoço é típico italiano. Já na chegada, salame, queijo e pão. Na sequência, sopa de capeletti, salada de radacci, galeto (frito) e uma sequência de carnes e massas. Hummm... deu até fome, agora! 


O suco de uva vem servido em jarras e é delicioso. Para quem não está dirigindo, há vinho para ser degustado.


O espaço não é muito grande, mas é acolhedor. Além do cardápio acima mencionado, a casa também serve café colonial.


A casa foi construída em madeira e basalto, para abrigar a família de Juarez Fracalossi na parte superior. No porão, o restaurante.


Na parte externa, você pode curtir a paisagem e degustar um bom vinho regional. A casa aceita reservas.




domingo, 27 de novembro de 2016

Caminhos de Pedra II - Cantina Strapazzon

Pic by Andrea Barros

Outra atração do Caminhos de Pedra é a Cantina Strapazzon. A casa é de pedra e foi construída em 1880 por Giovanni Strapazzon. No porão, ladeado por um belo parreiral, ocorre a degustação dos vinhos produzidos pela Cantina, bem como de suco de uva e de graspa, uma espécie de cachaça feita da uva.

E é no meio dos barris de vinho, entre uma degustação e outra, que a história da casa é contada pelos descendentes de Giovanni, bem como sobre o processo de fabricação do vinho. A casa, inclusive, ela serviu de cenário para algumas cenas do filme O Quatrilho (1995). 



A atual casa da família foi construída mais recentemente, em 1940, e fica mais perto da estrada. Em seu porão, funciona uma cantina em que você pode, além de degustar outros produtos coloniais (queijo, salame,etc.), adquirir diversos outros produtos, em especial cosméticos feitos à base de uva.




Tem lugar para fazer piquenique. A criançada curte muito essa ideia.


 

A Cantina Strapazzon funciona de segunda a sexta, das 9h às 17h30min, e nos finais de semana e feriados, das 9h às 18h. A visita também pode ser agendada pelo e-mail strapazzon@caminhosdepedra.org.br. 


O passeio pode ser feito de forma independente. A estrada é asfaltada e tem estacionamento no local. Excelente sugestão para um passeio em família.




sábado, 19 de novembro de 2016

Caminhos de Pedra I - Casa da erva-mate




A Serra Gaúcha é prodigiosa em atrações. Bento Gonçalves, então, espera aos visitantes com três roteiros interessantes: o Vale dos Vinhedos, o Passeio de Maria Fumaça e o Caminhos de Pedra. Neste, você pode passar o dia visitando pequenas agroindústrias, comprar artesanatos e degustar o melhor da gastronomia italiana, regada a bons vinhos e sucos de uva.

Vou apresentar em alguns posts algumas dessas atrações. Hoje começamos com a Casa da Erva-Mate, construída no prédio do antigo moinho Cecconello.





O chimarrão é a bebida típica do Rio Grande do Sul e, para quem não o conhece, trata-se de um chá amargo e quente, servido num porongo, que chamamos de cuia e é sorvido através da bomba, uma espécie de canudo. A erva utilizada no seu preparo se chama de Ilex Paraguaiensis, ou simplesmente erva-mate, por sua origem indígena. Não há adição de nenhum outro produto ou conservante na receita original.



Entretanto, atualmente, é possível encontrar ervas adocicadas (com a adição de um pouco de açúcar) ou misturada com outros chás (como camomila, carqueja, etc.). Também já é possível comprar aqui no RS a erva-mate utilizada no preparo do Tererê, bebida muito comum no Paraguai e oeste brasileiro.

Bem, após esta breve introdução, passemos ao preparo da erva-mate, que você vai aprender visitando a Casa da Erva-Mate, no Caminhos de Pedra. O processo ali demonstrado é artesanal e os soques - que moem as folhas - são movidos por uma roda d'água.

 


Em primeiro lugar, as folhas são cortadas nas árvores e trazidas para este forno aquecido, até ficarem secas para serem moídas. Depois, elas passam para essa espécie de pilão, cujas pás são movidas por uma roda d'água.


 
A erva depois de moída está pronta para ser servida no chimarrão.

Chimarrão pronto

As visitas guiadas ocorrem a cada 30min, mais ou menos, devendo o ingresso ser comprado na loja que fica do outro lado da estrada, que é a casa dos proprietários. Aliás, ali você encontra outros produtos à base de erva-mate e pode degustar o mais tradicional chimarrão.




A Casa funciona diariamente, das 9h às 18h. Além desses produtos, há outros que você poderá levar de lembrança do RS.

O roteiro Caminhos de Pedra pode ser percorrido de forma independente ou em grupos e é indicado para famílias, inclusive com crianças. A estrada é bem sinalizada e totalmente asfaltada. Vale passar o dia visitando todas as atrações que tem lá.









domingo, 13 de novembro de 2016

Review de hotel: Sofitel - Florianópolis/SC




Com esta vista fascinante da Baía Norte, o hotel Sofitel convida a relaxar, a tomar um mate, a curtir a piscina e a academia, que ficam no último andar. Ao lado da piscina tem uma jacuzzi, com água aquecida. Nesse andar tem, também, sala de massagem, com diversas opões delas no cardápio.

  

 O quarto é amplo, com cama confortável, tv, frigobar, mesa de escritório e amenities. O café da manhã também é excelente. Sim, paguei pela vista. E não me arrependo.






Optei por este hotel por ser bem localizado, especialmente em razão do congresso que ia. Mas ele é ótimo. Recomendo.

* Este post NÃO é patrocinado e nem apoiado.


 

domingo, 6 de novembro de 2016

Florianópolis/SC


Desde há muito não visitava Florianópolis, ou Floripa, para os íntimos. Aproveitei um congresso na cidade para retornar. Vencido o compromisso, hora de passear pela bela Ilha da Magia.

No Centro Histórico, a figueira centenária, que fica na Praça XV de Novembro. Impossível não se encantar. Ao lado, o casario típico açoriano, característica da Ilha. A igreja, também em estilo colonial, no alto da escadaria, fiscaliza a Baía. 




No mirante da Conceição, o letreiro convida o visitante a se tornar de casa. Sou bem Floripa, sim.


Nosso final de tarde, depois de cumprida a agenda profissional e pessoal, foi na linda Joaquina, a praia dos surfistas. Nós nos divertimos muito por lá.


 Na Lagoa da Conceição, jantamos num food truck muito legal que tem por ali. Ataquei de comida mexicana, óbvio.


 O tempo estava ótimo! Curtimos praia sem a muvuca do verão. Escolhemos Ingleses, que eu não conhecia para passarmos o dia.




O final do dia - e disso eu não abria mão - foi em Santo Antonio de Lisboa, com o seu maravilhoso por-do-sol.
 





Jantamos no Peña del Sur Floripa, como contei aqui, que fica nesse bairro. Depois de um dia intenso como este, hora de descansar e preparar a volta para o RS, mas com gostinho de 'quero mais'.



 

domingo, 30 de outubro de 2016

Museu Histórico de Santa Catarina - Florianópolis/SC


O Museu Histórico de Santa Catarina (MHSC) está localizado no Palácio Cruz e Souza, na Praça XV de Novembro, 227, Centro, em Florianópolis/SC, bem pertinho da Igreja. O prédio foi tombado como patrimônio histórico estadual em 26 de janeiro de 1984, constituindo-se num importante prédio de arquitetura eclética do final do século XIX.

Nas pratibandas, estátuas inspiradas na mitologia greco-romana adornam a fachada. Internamente, as escadarias são de mármore de Carrara, as claraboias de ferro, os pisos de marchetaria, os tetos das salas são de estuque e as paredes são pintadas com texturas da época. Mas os vitrais é o que encanta os visitantes, especialmente o da sala de jantar.


 

 Para se visitar o museu, é imprescindível o uso de pantufas, tal como o Museu Imperial de Petrópolis, para preservar o trabalho belíssimo de marchetaria existente no piso.



A primeira lâmpada residencial usada em Florianópolis também está exposta no Museu e data de 1910. O desenvolvimento sempre foi um forte objetivo do Estado.




João da Cruz e Souza é um importante poeta catarinense, filho de escravos alforriados. Em 1885, publicou seu primeiro livro, chamado "Tropos e Fantasias". Faleceu vítima de tuberculose ainda muito jovem. Seus restos mortais repousam no Museu, atualmente.


O museu é fechado às segundas-feiras. O ingresso custa R$ 5,00 (preço de abril de 2016).